Quem Somos
Notícias e Eventos
Oportunidades
Projetos
Projeto "Pegada Ambiental" - FEMA
Desenvolvimento Sustentável
Proteção dos Animais
Sugestões de Leitura
Fotos
Vídeos
Links
Fale Conosco
InFAP
Instituto de Formação e Ação em Políticas Sociais
Entenda o que é "Pegada Ambiental"
Atividades Desenvolidas
Atividades Previstas
Sugestões de Leitura
Dicas
Blog da Pegada Ambiental-FEMA
Calcule sua Pegada Ambiental
Dicas

Como eu posso diminuir a minha "Pegada Ambiental"?


1- Entendendo o que é e qual a importância do Aquecimento Global

Há algum tempo atrás, conversar sobre o clima era algo tão casual... Conversas do tipo: “Está um lindo dia, não?” ou “Que chuva, não?”.  Porém hoje o clima deixou de ser uma amenidade e transformou-se em polêmica e passamos a substituir comentários tão agradáveis como os acima, por comentários do tipo: “Que calor infernal, não? Deve ser o tal do Aquecimento Global...”.

Para muitos, a maior ameaça ambiental que o ser humano jamais enfrentou é uma questão política, mais isso não é verdade! O Aquecimento global é um fato científico: 2006 foi o sexto ano mais quente desde 1850; os outros cinco foram 1998, 2005, 2003, 2002 e 2004.

Se não reconhecermos a natureza imediata dessa ameaça, as consequências poderão ser catastróficas. Níveis dos mares que não param de subir, temperaturas extremamente elevadas, tempestades avassaladoras, secas, epidemias, pestes... A descoberta de soluções começa com a identificação do problema, para isso, precisamos entender como o aquecimento global funciona.

A energia do sol na forma de luz e calor aquece a Terra. O calor aumenta e parte dele retorna ao espaço. No entanto, a maior parte do calor fica presa na atmosfera em moléculas de “Gases de Efeito Estufa”, cujo sugestivo nome descreve exatamente a consequência desses gases. O vapor d’água é o principal gás de efeito estufa, além do CO2 (dióxido de carbono), metano e óxido nitroso. Tudo isso é natural e essencial à vida, pois, sem o efeito estufa a Terra seria fria e inabitável.



O problema é que aumentamos demais a quantidade de CO2, metano e óxido nitroso na atmosfera em grande parte queimando, por exemplo, florestas e combustíveis fósseis. Antes da Revolução Industrial, havia 280 ppm (partes por milhão) de CO2  na atmosfera. Hoje, o CO2 está em cerca de 380 ppm. Fatorado em todas as outras emissões provocadas pelo homem, o resultado será de 430 ppm de CO2.

Quanto maior o número de moléculas de gases de efeito estufa, maior o aquecimento no planeta. A atmosfera é tão imensa que as mudanças parecem lentas, quando são perceptíveis, mais esses aumentos acabam causando um impacto importante. Nos últimos 30 anos, a temperatura média da Terra subiu 0,6ºC, o que pode não parecer muito, mas a pequena Idade do Gelo em meados do último milênio foi sinalizada por uma mudança de apenas 1ºC. A inércia no sistema nos aquecerá em pelo menos 0,6ºC até 2020.

Mas o ser humano continua sossegado: as emissões de gases do efeito estufa continuam aumentando e os atuais índices de crescimento duplicarão os níveis pré-industriais dos gases até 2050. Se países como a China e a Índia alcançarem os mesmos níveis de emissões dos Estados unidos, chegaremos a essa cifra por volta de 2035.

O que acontecerá então? Com o dobro de gases do efeito estufa, é bem provável que tenhamos um aumento de 2ºC na temperatura média do planeta ainda neste século. Além disso, começaremos a enfrentar todo o tipo de desastre. Em Torno de 2080, até 3 bilhões de pessoas poderão sofrer com a falta de água e 200 a 600 milhões passarão fome. Entre 20 e 30% de todas as espécies podem entrar em extinção. O degelo da calota polar da Groelândia será acelerado provocando uma elevação de 7m no nível do mar.

Nossa tarefa é monumental. Só para manter os gases do efeito estufa em níveis atuais, temos que reduzir as emissões em 60%. Para diminuir o nível dos gases e reverter o aquecimento que já se instalou toda a economia de combustíveis fósseis, que nos proporcionou proezas em termos de riqueza e tecnologia, terá de ser repensada. A curto prazo, teremos de fazer uma série de adaptações . A longo prazo, talvez precisemos remodelar, reinventar e renovar alguns dos elementos básicos da sociedade.

Sua ajuda é necessária. Você precisa assumir sua pequena parcela de atitudes em casa, no escritório e em seu bairro porque, multiplicadas, pequenas coisas somam um milhão. Isso é tão certo quanto o fato de que cada molécula de CO2 compõe o acúmulo de gases na atmosfera.

 


2- Mude aos poucos

 
Se 1 milhão de pessoas reduzisse as emissões em 10%, eliminaríamos 750.000 ton de CO2 ao ano.

Quase todas as tentativas de mudança falharam, não por má vontade, mas por falha de planejamento e pragmatismo. Mesmo assim, se o comportamento a ser mudado não foi adquirido em um único dia, como você espera mudá-lo de uma hora para outra?  

 
ESCOLHA UMA META, analise os prós e contras. Uma Meta a considerar: Reduzir a sua Pegada Ecológica em quase meia tonelada por ano.

ESCREVA UMA META CLARA E SE PERGUNTE: ESTE OBJETIVO REALMENTE É VIÁVEL? Querer que a sua casa seja 100% suprida de energia solar até a próxima semana, por exemplo, é um desejo idealista. Reduzir o seu consumo de combustíveis fósseis em 10% nos próximos seis meses, por exemplo, é o início de um projeto.

IDENTIFIQUE AS TÁTICAS E OS RECURSOS NECESSÁRIOS.  Se você não anda de bilcicleta há 20 anos, ainda não é a hora de vender os seus veículos motorizados e contar apenas com a sua bicicleta. Encontre alternativas de como mudar agora, como por exemplo praticar o Transporte Solidário
ou utilizar o Transporte Público uma ou duas vezes por semana.  

DIVIDA SEU PLANO EM PEQUENAS ETAPAS VIÁVEIS. Se não conseguir realizar uma etapa, pense em outra mais viável. E não compare ao que imagina que os outros poderão conseguir. É a sua vida que você está mudando.

RECOMPENSE A SI MESMO. Ao alcançar pequenas marcas de sucesso, reconheça o seu esforço em prol da mudança. Não se envergonhe de ter orgulho de seus feitos; quanto melhor você se sentir, maior sua capacidade de ação.

PASSE PARA A FRENTE. Conte aos seus amigos e familiares sobre seu objetivo. Enfatize um aspecto realmente intessante de sua iniciativa. Assim, seu objetivo ficará mais concreto para você e os outros poderão ajudá-lo.

 


3- Troque suas Lâmpadas

Em 1 milhão de residências, se cada uma trocasse quatro lâmapadas convencionais por fluorescentes, seriam eliminadas 900.000 ton de gases do efeito estufa.


4- Desligue os aparelhos que ficam em Stand-by

Se 1 milhão de residências reduzisse pela metade sua carga de Energia Fantasma , 150.000 toneladas de CO2 por ano seriam eliminados.
 

A maioria dos Eletrodomésticos contém um relógio, um temporizador digital, um controle remoto ou o modo Stand by, isso é chamado de Energia Fantasma e mesmo quando você não está usando esses aparelhos eles continuam a consumir energia. A carga de energia fantasma nos países induatrializados responde po 75 milhões de toneladas de emissões de CO2 bilhões de dólares gastos por ano.


TUDO BEM, ENTÃO O QUE DEVO FAZER? Desligue os aparelhos da tomada quando não os estiverem sendo utilizados.


4- Pague a suas contas On-Line

405.000 árvores são derrubadas anualmente para fabricar o papel necessário para enviar todas as contas de telefone nos Estados Unidos. Imagine só quantas não são derrubadas aqui no Brasil para imprimir todas as contas, não só as de telefone...

ENTE NO UNIVERSO ON-LINE e pague suas contas. É  muito fácil, prático e rápido. Entre em contato com o seu banco e se informe se este possui o serviço de Internet Banking.


5- Diga não aos Sacos Plásticos

A história dos 500 bilhões a 1 trilhão de sacos plásticos usados diariamente não tem um final feliz. A maior parte desses sacos vai par aterros de lixo, é jogada nas ruas ou prejudica animais silvestres e aquáticos.

Se 1 milhão de pessoas optasse por sacos reutilizáveis, seria eliminada a necessidade de 1 bilhão de sacos plásticos.


UTILIZE SACOLAS RETORNÁVEIS OU CAIXAS DE PAPELÃO. Felizmente esta é uma atitude que tem sido bem difundida no nosso país. Na cidade de Belo Horizonte- MG por exemplo, o uso de sacolsas plásticas nos supermercados e no comércio foi proibido no mês de Abril de 2011. 

 

 



Quem SomosNotícias e EventosOportunidadesProjetosProjeto "Pegada Ambiental" - FEMADesenvolvimento SustentávelProteção dos AnimaisSugestões de LeituraFotosVídeosLinksFale Conosco